Relatórios

Comentário Mensal Open Vista Janeiro - 2022

Em janeiro, os fundos Open Vista Patrimônio Global FIM, Open Vista Ciências Médicas FIA e Open Vista Tecnologia Global FIA, perderam, respectivamente, 8,5%, 12,7% e 19,9%, em reais. Os investimentos diversificados em ações internacionais, títulos de créditos privados e títulos de governos ofereceram um retorno consolidado negativo de 4,2%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Dezembro - 2021

Em dezembro, os fundos Open Vista Ciências Médicas FIA, Open Vista Patrimônio Global FIM e Open Vista Tecnologia Global FIA, renderam, respectivamente, +5,2%, +0,3% e menos 4,3%, em reais. Os investimentos em ações de empresas no setor de saúde, feitos majoritariamente nos EUA e na Europa, ficaram pouco abaixo do resultado do setor e ofereceram um retorno de 6,3%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Novembro - 2021

Em novembro, os fundos Open Vista Tecnologia Global FIA, Open Vista Ciências Médicas
FIA e Open Vista Patrimônio Global FIM renderam, respectivamente, +0,8%, -2,7% e
+0,8%, em reais. Os investimentos em ações de empresas no setor de tecnologia, feitos
majoritariamente nos EUA e na Ásia, renderam acima do desempenho do setor e
ofereceram alta de 0,4%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Outubro - 2021

Em outubro, os fundos Open Vista Tecnologia Global FIA, Open Vista Ciências Médicas FIA e Open Vista Patrimônio Global FIM renderam, respectivamente, +8,3%, +5,2% e +3,8%, em reais. Os investimentos em ações de empresas no setor de tecnologia, feitos majoritariamente nos EUA e na Ásia, renderam um pouco abaixo do desempenho do setor e ofereceram alta de 5,9%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Setembro - 2021

Em agosto, os fundos Open Vista Tecnologia Global FIA, Open Vista Ciências Médicas FIA e Open Vista Patrimônio Global FIM renderam, respectivamente, -1,5%, -0,7% e +2,6%, em reais. Os investimentos em ações de empresas no setor de tecnologia, feitos majoritariamente nos EUA e na Ásia, em linha com desempenho do setor e ofereceram queda de 5,7%, em dólares. Os investimentos em ações de empresas no setor de saúde, feitos majoritariamente nos EUA e na Europa, ficaram acima do resultado do setor e ofereceram um retorno negativo de 4,4%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Agosto - 2021

Em agosto, os fundos Open Vista Tecnologia Global FIA, Open Vista Ciências Médicas FIA e Open Vista Patrimônio Global FIM renderam, respectivamente, +2,7%, +1,9% e +1,6%, em reais. Os investimentos em ações de empresas no setor de tecnologia, feitos majoritariamente nos EUA e na Ásia, renderam abaixo do desempenho do setor e ofereceram alta de 3,0%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Julho - 2021

Em julho, os fundos Open Vista Ciências Médicas FIA, Open Vista Tecnologia Global FIA e Open Vista Patrimônio Global FIM renderam, respectivamente, +6,0%, +5,0% e +4,9%, em Reais. Os investimentos em ações de empresas no setor de saúde, feitos majoritariamente nos EUA e na Europa, ficaram pouco abaixo do resultado do setor, mas ofereceram um retorno positivo de 1,9%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Junho - 2021

Em junho, os fundos Open Vista Tecnologia Global FIA, Open Vista Ciências Médicas FIA e Open Vista Patrimônio Global FIM renderam, respectivamente, +3,1%, -2,0% e -2,9%, em Reais. Os investimentos em ações de empresas no setor de tecnologia, feitos majoritariamente nos EUA e na Ásia, superaram o desempenho do setor e ofereceram alta de 8,4%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Maio - 2021

Em maio, os fundos Open Vista Tecnologia Global FIA, Open Vista Ciências Médicas FIA e Open Vista Patrimônio Global FIM renderam, respectivamente, -4,7%, -1,3% e 1,6%, em Reais. Os investimentos em ações de empresas no setor de tecnologia, feitos majoritariamente nos EUA e na Ásia, ficaram abaixo do desempenho do setor e ofereceram perda de 3,0%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Abril - 2021

Em abril, os fundos Open Vista Tecnologia Global FIA, Open Vista Ciências Médicas FIA e Open Vista Patrimônio Global FIM renderam, respectivamente, +2,6%, +1,8% e -1,1%, em Reais. Os investimentos em ações de empresas no setor de tecnologia, feitos majoritariamente nos EUA e na Ásia, ficaram em linha com o desempenho do setor e ofereceram um retorno de 5,1%, em dólares.

Comentário Mensal Open Vista Março - 2021

Em março, os fundos Open Vista Patrimônio Global FIM, Open Vista Ciências Médicas FIA e Open Vista Tecnologia Global FIA renderam, respectivamente, +3,4%, +2,3% e -3,5%, em Reais. Considerando que os fundos investem no exterior e não possuem hedge cambial estrutural, o principal fator que contribuiu para o desempenho dos fundos, potencializando os resultados no exterior, foi a alta do dólar versus o real, que no período subiu 1,1%.

Comentário Mensal Open Vista Fevereiro - 2021

Em fevereiro, os fundos Open Vista Tecnologia Global FIA, Open Vista Ciências Médicas FIA e Open Vista Patrimônio Global FIM renderam, respectivamente, +0,5%, -1,6% e +0,2%, em Reais. Considerando que os fundos investem no exterior e não possuem hedge cambial estrutural, o principal fator que contribuiu para o desempenho dos fundos, atenuando as perdas no exterior, foi a alta do dólar versus o real, que no período subiu 1,9%.

Comentário Mensal Open Vista Janeiro - 2021

Após um forte início de mês, a maioria dos mercados de ações devolveu os ganhos no fechamento de janeiro (em dólares). Os mercados emergentes, por sua vez, apresentaram desempenho superior, encerrando janeiro em alta, exceto a América Latina.

Comentário Mensal Open Vista Novembro - 2020

Será que podemos dizer que novembro foi o divisor de águas, o ponto de inflexão para os mercados globais? Os fatos parecem indicar que seja este o caso. O anúncio de três vacinas que se mostraram eficazes contra o coronavírus gerou um clima de otimismo a ponto de desencadear a busca por ativos considerados de risco.

Comentário Mensal Open Vista Outubro - 2020

O fluxo de notícias de outubro foi dominado por dois tópicos. Por um lado, a Europa está enfrentando uma segunda onda de infecções por coronavírus, com as principais economias relatando novos picos nas taxas de infecção. Por outro lado, nos EUA, ainda que também enfrentem o ressurgimento da COVID-19, a principal discussão girou em torno das eleições presidências.

Carta Mensal Mercados Junho - 2020

Possibilidade de continuidade de valorização para as ações globais, desde que a confiança dos investidores permaneça elevada, a inflação e as taxas de juros permaneçam baixas e os resultados financeiros das empresas recuperem a sua tendência de longo prazo.

Carta Mensal Mercados Maio - 2020

Forte recuperação nos mercados de ações globais com alta de cerca de 30% nos últimos 2 meses. Na renda fixa, a classe de ativos com melhor desempenho foi a de títulos de dívida de países emergentes, que subiu 5,9% em maio.

Carta Mensal Mercados Abril - 2020

Mesmo em ciclos de contração econômica e de incerteza nos mercados financeiros sempre haverá setores e regiões que se destacarão positivamente apresentando ganhos.

Carta Mensal Mercados Março - 2020

A reprecificação dos ativos ao redor do mundo, gerada pela pandemia de Covid-19, reforça a necessidade de diversificação internacional e demostra que, mesmo em condições extremas de mercado, carteiras diversificadas têm desempenho superior a carteiras concentradas em ativos de um único país ou em uma única moeda.

Em direção a recuperação da economia global – Junho 2019

Inflação abaixo das metas nas principais economias do mundo impõe desafios aos bancos centrais no caminho de volta do crescimento do PIB mundial.

Carta Mensal dos Mercados Internacionais – Maio 2019

Os mercados globais de ações continuaram firmes em abril apoiados por dados econômicos encorajadores e a atuação conservadora dos principais bancos centrais. Na renda fixa os títulos corporativos superaram os títulos emitidos por governos.

Carta Mensal dos Mercados Internacionais – Abril 2019

O primeiro trimestre de 2019 foi o melhor dos últimos 21 anos para quem investe em ações nos Estados Unidos. Seguindo a mesma tendência Europa, Ásia e países emergentes apresentaram acentuada recuperação. Destaque para o mercado local de ações na China que subiu 34% nos primeiros três meses do ano.

Carta Mensal dos Mercados Internacionais – Março 2019

Redução das disputas comercias globais, suportada pelo avanço nas negociações entre os Estados Unidos e China, deu o tom nas bolsas de valores ao redor do mundo. Alta nos EUA, Europa e, com maior intensidade, na China indicam recuperação após o fechamento negativo no último trimestre de 2018.

A Economia mundial perdeu força

A percepção geral é que o mundo enfrentará, no mínimo, um período de crescimento mais lento, e pode até mesmo entrar novamente em recessão, quadro que gera questões importantes para os formuladores de políticas públicas.

Conheça a Estratégia Global para 2019

Nossa perspectiva para o mercado global em 2019 é otimista, com destaque para oportunidades em ações norte-americanas, petróleo e ações em mercados emergentes. Esperamos que dois fatores de risco importantes para os mercados globais devam diminuir este ano, que são as tensões comerciais entre Estados Unidos e China e aumento das taxas de juros nos EUA. O maior risco para o mercado global em 2019 é a incerteza geopolítica na Europa.

Conheça a estratégia da Open Vista para o 2° semestre de 2018

No segundo semestre de 2018 esperamos um crescimento robusto da economia mundial, em especial dos Estados Unidos. A redução de impostos continuará a impulsionar a maior economia do mundo, com efeitos positivos para o nível de atividade da economia global, favorecendo, especialmente, o crescimento dos países do G7. Apesar disso, os mercados de investimento enfrentarão um nível crescente de riscos, o que nos leva a recomendar uma estratégia de investimento mais conservadora.

Taxas de juros reais, do Plano Real até hoje

O Comitê de Política Econômica do Banco Central do Brasil decidiu, por unanimidade, a manutenção de sua taxa Selic em 6,50% em 19 de setembro de 2018, como era amplamente esperado, mantendo os custos dos empréstimos nos níveis mais baixos da sua história. A inflação permaneceu abaixo da meta do governo em 4,19% em agosto (em comparação a agosto de 2017) e o crescimento foi apenas um pouco menor do que o esperado para o 2º trimestre, com expansão de 0,2%. Tudo isto é uma boa notícia para a economia, mas o país está caminhando para a incerteza das eleições presidenciais. Então, onde os investidores avessos a risco colocam seu dinheiro?